25 04 2006


Como é óbvio, não podia deixar passar este dia sem referir a importância que o 25 de Abril teve na luta pelos nossos direitos e, acima de tudo, pela LIBERDADE.
O 25 de Abril, é melhor exemplo do famoso ditado “a união faz a força”. Se não fosse a união dos militares, e do povo português, alguma vez teria sido possível derrubar o regime salazarista (que de positivo teve apenas o facto de relançar a economia portuguesa)? Penso que não.
Pois é, todos nós deveríamos seguir este exemplo e unir-nos para lutarmos pelos nossos ideiais, uma vez que:

TODOS UNIDOS, JAMAIS SEREMOS VENCIDOS




25 04 2006


Como é óbvio, não podia deixar passar este dia sem referir a importância que o 25 de Abril teve na luta pelos nossos direitos e, acima de tudo, pela LIBERDADE.
O 25 de Abril, é melhor exemplo do famoso ditado “a união faz a força”. Se não fosse a união dos militares, e do povo português, alguma vez teria sido possível derrubar o regime salazarista (que de positivo teve apenas o facto de relançar a economia portuguesa)? Penso que não.
Pois é, todos nós deveríamos seguir este exemplo e unir-nos para lutarmos pelos nossos ideiais, uma vez que:

TODOS UNIDOS, JAMAIS SEREMOS VENCIDOS




25 04 2006


Como é óbvio, não podia deixar passar este dia sem referir a importância que o 25 de Abril teve na luta pelos nossos direitos e, acima de tudo, pela LIBERDADE.
O 25 de Abril, é melhor exemplo do famoso ditado “a união faz a força”. Se não fosse a união dos militares, e do povo português, alguma vez teria sido possível derrubar o regime salazarista (que de positivo teve apenas o facto de relançar a economia portuguesa)? Penso que não.
Pois é, todos nós deveríamos seguir este exemplo e unir-nos para lutarmos pelos nossos ideiais, uma vez que:

TODOS UNIDOS, JAMAIS SEREMOS VENCIDOS




25 04 2006


Como é óbvio, não podia deixar passar este dia sem referir a importância que o 25 de Abril teve na luta pelos nossos direitos e, acima de tudo, pela LIBERDADE.
O 25 de Abril, é melhor exemplo do famoso ditado “a união faz a força”. Se não fosse a união dos militares, e do povo português, alguma vez teria sido possível derrubar o regime salazarista (que de positivo teve apenas o facto de relançar a economia portuguesa)? Penso que não.
Pois é, todos nós deveríamos seguir este exemplo e unir-nos para lutarmos pelos nossos ideiais, uma vez que:

TODOS UNIDOS, JAMAIS SEREMOS VENCIDOS




Amigos

20 04 2006

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.
A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objecto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o
ciúme, que não admite a rivalidade.
E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!
Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências…
A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem.
Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.
Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.
Muitos deles estão lendo esta crónica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.
Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure.
E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque
eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.
Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado.
Se todos eles morrerem, eu desabo!
Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles.
E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.
Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles.
Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer…
Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!
A gente não faz amigos, reconhece-os.

Vinícius de Morais

Este texto é dedicado a todos os meus amigos que me apoiam, mesmo quando não estão presentes. Tal como elucida o texto, vocês são os meus alicerces. E, digam o que disserem, façam o que fizerem, desde que vos tenha ao meu lado (embora nem sempre fisicamente, mas no cantinho do meu coração reservado a cada um de vocês), conseguirei reunir forças para dar mais um passo neste caminho constante para o abismo que é a nossa vida.
OBRIGADO POR TUDO





1983-2006

17 04 2006


Foi com choque que recebi a notícia que Francisco Adam (o “Dino” dos “Morangos com açucar”) tinha falecido na madrugada de Domingo. Contaram-me através de uma mensagem no telemóvel e a primeira coisa que pensei é que era uma brincadeira de muito mau gosto. Contudo era verdade, este jovem actor de 22 anos perdeu a vida num acidente de automóvel do qual resultaram mais dois feridos graves.
É sempre chocante receber a notícia da morte de alguém tão jovem e com um futuro promissor pela frente (pelo que a sua prestação na série deixava adivinhar) e ainda por cima de uma forma tão estúpida e revoltante como um acidente de carro.
O “Dino-man”, era conhecido pela boa-disposição que o acompanhava tanto no dia-a-dia, como no trabalho. Começou a sua carreira como modelo, participou em alguns anúncios publicitários e concorreu a um casting para a série “Morangos com açúcar”, na qual participava há cerca de um ano.
Resta-me apenas dizer, DESCANSA EM PAZ FRANCISCO, estejas onde estiveres, nunca serás esquecido.





É tempo de parar

12 04 2006

Poquê preocuparmo-nos?
É tão fácil ficar sentado
e ver tudo girar à nossa volta!

Mas o mundo não tem que ser assim.
Há que lutar e remar contra o grande mal da sociedade.

Essa apatia…
que mata o pensamento
e faz nascer a ignorância.

Parem!
Parem com toda esta apatia que nos corrói,
e nos faz perder o nosso valor mais importante:
a OPINIÃO.