Aproveitem cada momento e ajudem-se uns aos outros

30 07 2010





Porque

5 07 2010

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão
Porque os outros têm medo mas tu não
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão
Porque os outros se calam mas tu não

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo
Porque os outros são hábeis mas tu não

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos
Porque os outros calculam mas tu não.

Sophia de Mello Breyner Andresen

Em dias como o de hoje em que uma vez mais, num resultado que se começa a tornar habitual, o fracasso imperou e o cansaço e a desilusão tomaram conta do meu estado de espírito, este poema vem-me sempre à cabeça.

Não sei se pela mensagem que transmite. Não sei se pelo facto de me rever nele. Não sei se por após injustiças atrás de injustiças, encontrar aqui alguma réstia de esperança. Não sei se pelo génio da autora.

Apenas sei que nele encontro algo a que me agarrar (só espero que as forças sejam suficientes…).