Escandaloso!

3 08 2011

“Para testar os dados avançados pelo presidente do INEM sobre os tempos de atendimento nas centrais do serviço – 5 segundos em 62% das chamadas -, o PSD resolveu fazer a prova ligando para o “112”.

“O grupo parlamentar do PSD fez, já durante esta audição, uma chamada para o serviço 112. Desde o primeiro toque até serem atendidos, decorreram 14 segundos. Evidentemente que este é um exemplo, mas nove segundos de diferença entre os 5 segundos e os 14 segundos desde o primeiro toque até ao atendimento efectivo podem, de facto, fazer a diferença na vida ou na morte de um cidadão que contacte o INEM”, diz Joana Barata Lopes, deputada do PSD.

A bancada socialista lembrou que fazer chamadas falsas para o INEM é crime e o próprio presidente do instituto não deixou de o frisar também: “Foi aqui dito – quem sou eu para julgar – que chamadas falsas para o 112 constituem eventualmente um ilícito e eventualmente um crime”, disse Miguel Soares de Oliveira, presidente do INEM, que esteve hoje no Parlamento.

A deputada social-democrata Joana Barata Lopes lembrou ainda que a auditoria do Tribunal de Contas apontava para um tempo médio de espera no atendimento entre 12 e 13 segundos.

Miguel Soares de Oliveira aproveitou para esclarecer “um erro habitual”: ligar para o 112 não é o mesmo que ligar para o INEM. “Só depois de triada a chamada, [feita] muito rapidamente pela central 112 da PSP, é que a chamada é transferida para o INEM e é a partir daí que começa a nossa quota-parte de responsabilidade – que é grande e que estamos a melhorar. Agora, não podemos confundir o 112 com o INEM – é um erro clássico, habitual, enraizado na cultura do povo e que temos de alterar. O 112 não é o INEM”.

O PSD insistiu numa interpelação: “No documento que acabaram de distribuir, o tempo começa desde que ligamos para o 112. Qual é o tempo de espera efectivo?”.

“O INEM não recebe, não tutela as chamadas do 112. As chamadas 112 entram na central da PSP”, respondeu Miguel Soares de Oliveira.”

Fonte: RR

Se isto fosse uma brincadeira de crianças, apesar da gravidade, não se estranhava tanto. Agora vindo de uma deputada que deve representar os portugueses e que acima de tudo deve ter conhecimento dos seus deveres a gravidade é ainda maior e tal acto deve ser punido.
Tal como várias entidades reafirmaram aqui há tempos, este tipo de “brincadeiras” pode pôr em risco a vida de pessoas. Imagine-se por exemplo que para atender esta chamada, o operador do 112 deixou de atender uma chamada de alguém que está a ter um ataque cardíaco.
É por estas e por outras que tal acto é um crime previsto e que a deputada deve ser punida pois se qualquer cidadão que o faça o é, não vejo motivo para aquela o não ser (podendo mesmo a pena ser agravada).

Fica aqui uma sugestão: Para a próxima em vez de pôr em risco a vida de portugueses que realmente necessitam deste serviço procure deslocar-se às instalações do INEM. Decerto obterá os resultados que pretende e dos quais poderá retirar as suas conclusões.

Anúncios