Para sempre…

28 05 2010

Por todos os momentos passados (bons e maus), por todas as lições aprendidas (de Direito ou não), por todas as experiências vividas, por todos os amigos que se fizeram, por toda uma família construída esta será SEMPRE a nossa casa: A NOSSA FDL!

Anúncios




Há 1 ano foi assim

16 05 2010




Lido

6 05 2010

É por textos como este que este é um dos meus blogues preferidos.





Quando o tempo pára…

17 04 2010





A não perder!

22 01 2010

Amanhã, a partir das 16h30 não percam o lançamento da revista “Dagon” elaborada pelo meu amigo Roberto Mendes. O evento terá lugar no Clube Literário do Porto (consultar programa  aqui) e para além do lançamento da revista terão lugar outras iniciativas relacionadas com o fantástico.

Esta é mais uma prova que com empenho e dedicação, de repente os impossíveis se tornam possíveis.

Uma vez mais Parabéns Roberto, este é sem dúvida o reconhecimento merecido de todo o trabalho que tens feito até aqui na área do fantástico. Que venham mais!





Foi um orgulho!

20 01 2010

 

 

Há dias, numa conversa entre amigos sobre o movimento associativo, perguntaram-me: “mas tanta paixão, tanta dedicação em prole de quê? O que vos move?”. Esta foi uma das poucas vezes na minha vida em que tive dificuldade em encontrar alguma coisa para dizer. E a razão é muito simples.

É muito difícil explicar todo o sentimento que está por trás de todas as nossas acções. Para conseguir responder a esta pergunta, comecei a contar a história da Lista @. A forma como acabou a sua antecessora (a lista R), a forma como começou a ser criada, a forma como ninguém dava nada por nós, a forma como nos unimos, a forma como a 20 de Janeiro de 2007 conseguimos provar que, por vezes, o impossível não é assim tão impossível quanto isso.

Quando existe união, paixão, dedicação e humildade em torno de um projecto, tudo se torna possível. Quando essa dedicação e empenho são colocadas num projecto em prole da defesa dos interesses dos estudantes, tudo se torna possível. Quando a dedicação por vezes se torna quase exclusiva. Quando os interesses pessoais ficam à porta tudo o que a lista @ foi e representou é possível.

Foram tempos difíceis aqueles que antecederam a primeira vitória. Quase tão difícil quanto esses tempos foi a noite das eleições. A noite em que tudo estava posto à prova. A noite em que a Lista @ mostrou onde estava a verdadeita força da FDL.

A partir daí, o desafio era outro e mais uma vez os objectivos foram atingidos. Novas eleições vieram (para a AAFDL, para a FDL, para a AAUL), novas equipas, novas pessoas, novos projectos mas acima de tudo a mesma vontade. Mais dois mandatos se seguiram e uma vez mais a lista @ continuou a mostrar a sua força.

Foram sem dúvida os melhores anos da minha vida. Não apenas pelo projecto em si e por tudo o que envolveu mas principalmente pelas pessoas que conheci, pelos momentos (bons e maus) que vivemos, por tudo o que convosco aprendi.

O ciclo termina. A nostalgia impera e as lágrimas que hoje nos correm nos olhos não são de tristeza. São sim de saudade. Pelos tempos vividos, pelas horas de trabalho, pelos impossíveis que nos propusemos conseguir, sem estarmos à espera de reconhecimento, por tudo o que nos faz ter o sentimento de dever cumprido.

(aqui fica uma vez mais o vídeo da primeira vitória da Lista @)

Posso sem dúvida dizer que depois destes anos ganhei uma nova família (sim porque como hoje me disseram, a Lista @ acaba mas a amizade perdura). Este projecto termina mas nós continuamos por cá. Seja em novos projectos, seja no nosso quotidiano, todo nós temos ainda muito para dar. A marca deixada pela Lista @ vai muito mais além dos três anos que durou.

A Lista @ está em cada um de nós e assim continuará.

Foi e será sempre um orgulho lutar ao vosso lado…ATÉ AO FIM!!!





14 01 2010

Porque…

Porque quero escrever mas as palavras não saem.

Porque as horas passam e o sono teima em não aparecer.

Porque os dias passam e nada acontece.

Porque a esperança vem mas acaba sempre por cair.

Porque as ilusões são sempre seguida por desilusões.

Porque esperam muito e eu nada lhes consigo dar.

Porque já não sou aquilo que fui.

Porque quero chorar mas não me deixo.

Porque quero parar mas não posso.

Porque tudo começa a ficar sem sentido.

Porque…

Porque quero fugir…

desaparecer…

ir para longe…

esquecer…

e o mundo lá fora teima em continuar alheio ao que eu sinto.